Meu trabalho e eu

https://ted.com/talks/view/id/1126

Assisti este vídeo no site do TED e gostei muito, as coisas que ela diz fazem tanto sentido pra mim que eu precisava fazer uma rápido post. O discurso da Kathryn Schulz é super direto, nem é necessário fazer comentários.

Em tantas situações no trabalho me senti como ela falou, parecia que havia o correto a ser dito e feito e embora todos concordassem, algo me dizia que não era aquele o caminho certo a seguir. Muitas vezes acabei indo com a maré por não sentir que tinha força para fazer o movimento contrário e quando tive coragem,  fui interpretada como alguns dos exemplos que ela cita: ignorante, do contra, capetinha e por aí vai.

Fiquei pensando em como o conformismo do estar certo, do ter sempre o correto a fazer acaba limitando a nossa vida, criando generalizações falsas sobre o mundo, as pessoas e nós mesmos. Concordo plenamente com o que ela diz no final: If you really want to rediscover wonder, you need to step outside of that tiny, terrified space of rightness and look around at each other an look out at the vastness and complexity and mystery of the universe and be able to say: Wow! I don’t know. Maybe I’m wrong!

Precisamos desenvolver a capacidade de estarmos e, aceitarmos estar ERRADOS!

Nane =)

E a Nane está de volta, depois de alguns meses afastada de terras brasileiras e da internet volto com um post sobre uma das minhas maiores paixões, a Natura. Alguns dos meus poucos leitores fiéis sempre me pergunta o que ando fazendo e porque há tempos não divulgo minhas aventuras, acho que essa viagem muito mais do que um intecâmbio para aprimorar o inglês macarrônico que eu tinha, me fez pensar tanto sobre mim mesma e o que eu realmente queria da vida, que acho que foi intenso demais para conseguir descrever em posts de blog.

Mas, como todos que partem um dia precisam voltar, e é terrível voltar, depois de um tempo fora, você sente como se a vida de todo mundo estivesse acontecendo, bombando e a sua não, que todas as pessoas estão em excelentes momentos profissionais e você não vai conseguir se recolocar tão facilmente, você sente vergonha de sair pedindo emprego para os conhecidos, porque seus conhecidos podem não poder ou querer te ajudar… Em meio há todas essas dúvidas super existenciais, entro no site da Natura para conferir uma linha nova de produtos que uma amiga me indicou e vejo a propaganda: Programa Jovens Talentos Natura 2011, Inscrições abertas!

Pensei um pouquinho e agora que posso finalmente colocar em meu currículo “inglês avançado”, hahaha, why not? Ainda não tenho a menor idéia do que quero fazer da vida, mas não custa nada participar do processo seletivo. Cadastrei meu currículo e algumas semanas depois chega o convite para eu participar da comunidade virtual dos participantes do processo seletivo. Ok, vamos lá, como todas as 1 milhão de comunidades virtuais, a gente sempre começa, preencheendo os dados de perfil e escolhendo uma foto (que neste caso, precisa evidenciar que você é uma pessoa de sucesso, afinal, você está concorrendo há uma vaga na empresa dos sonhos).

A primeira parte foi fácil, depois assisti as instruções que sugeriam que eu participasse dos fóruns e webcasts, pensei: bom, vou dar uma olhada em quantos membros estão inscritos, mais de 8.000 pessoas, urhggggg, deu até medo, isso porque tenho certeza que muito mais pessoas ainda entrarão. Selecionei alguns fóruns, são tantas perguntas ao mesmo tempo e tantas respostas que acabo até me perdendo, leio algumas respostas, posto algumas também, tento procurar padrões de afinidade, mas a coisa ainda está fria.Tentei o chat, pessoas de vários outros países, assisti todos os vídeos, vi as fotos, li todas as informações do processo, que são muito transparentes por sinal, a cara da Natura.

Mas e aí gente, o que tenho que fazer para entrar na minha empresa dos sonhos? Ainda não tenho a menor idéia. Todos nós podemos criar um blog em nosso perfil e porque eu não estou escrevendo tudo isso lá? Bom, acabei de entrar e ainda não me sinto confortável, tudo é virtual mas ainda sinto que aqui tenho toda a liberdade do mundo para escrever e lá não, coisa estranha né… Acho que eu sou uma pessoa estranha mesmo. Será que a Natura vai aceitar pessoas estranhas? Espero que sim. Como eles vão fazer para no meio de tanta interatividade encontrar pessoinhas estranhas como eu? Ou o que pessoas estranhas como eu precisarão fazer para que a Natura consiga nos encontrar? Acho que essa resposta vale 1 milhão de dólares ou pelo menos, uma vaga entre os trainees 2011.

Eu queroooooooooo, ou pelo menos, eu acho que eu quero ser uma das finalistas!

=)

Nane

TEDx USP

Posted on: 26/07/2010

(Foto da Lívia do TEDx São Paulo)

Yes! Mais um TEDx em São Paulo, e em minha opinião, um dos mais importantes. Desta vez a USP será a anfitriã do evento que acontecerá  no dia 7 de agosto. TEDx são eventos com inspiração vinda da famosa conferência internacional TED, muito mais do que um mega evento TED é uma comunidade global de pessoas comprometidas em espalhar boas idéias pelo mundo.

Estes eventos possuem características similares ao TED porém são organizados de maneira indepente. Mas o que raios isso quer dizer? Quer dizer que a organização do TED licencia pessoas ou grupo de pessoas a utilizarem a marca TEDx, mas não são diretamente responsáveis por sua realização. Para anfitriar um evento como este você deve fazer parte da comunidade TED e já ter participado de alguma forma de eventos que eles promoveram, para mais dicas de como criar um TEDx:  Host a TEDx event.

O TEDx USP foi organizado por amigos e conhecidos meus, no início eu fazia parte do grupo organizador mas, como estava muito próxima a minha viagem para a Irlanda decidi sair da organização, porém não tenho dúvidas que será um megaaaaaa evento.

Como na maioria dos TEDx, para se canditar a uma vaga basta preencher a ficha de inscrição disponível aqui: Inscrições.

Assistir palestrantes super finos discutindo sobre as maneiras que encontraram para resolver problemas de suas comunidades com certeza vai ser muito interessante!

Não deixe de se inscrever!

Eu já fiz isso!

Nane =)

Por esses dias estou numa correria, está super difícil escrever, mas como um dos propósitos da minha participação era para que eu ajudasse a espalhar boas idéias que surgissem por lá eu não poderia deixar de postar!

O que eu mais gostei na conferência foi a feira de tecnologias sustentáveis. Eu gostaria muitoooooooo que os projetos se tornassem super conhecidos e utilizados por todos nós, então vou listar rapidamente os que eu achei mais interessantes:

Solatube

http://www.naturalux.com.br

Sistema de iluminação natural que capta, transfere e difunde a luz solar para dentro do ambiente. São produtos com o selo Energy Star, que garantem eficiência energética em comparação a produtos similares. Achei a idéia muito bacana, porque ele simplesmente reflete a luz externa, sem nenhum trabalho mecânico.

Sistema Handbox Preservation

http://www.sistematransvoll.com.br

O nome é brega, parece mais um produto tabajara, mas a idéia é bem legal.  O sistema que eu vi na feira é composto por caixas de garrafa Pet. A empresa firmou uma parceria com o Wallmart para que as pessoas trocassem lá suas garrafas ( as quantidades são diferentes para cada tamanho) assim, ao ir ao supermercado você levaria suas caixas, encaixaria no suporte (carrinho) e na hora de fazer o pagamento, um sistema de identificação por rádio frequência faz com que o valor a ser pago seja identificado sem a necessidade de passar pelo leitor do caixa.  Além da praticidade é uma forma muito mais inteligente de reaproveitar as embalagens Pet. Adoreiiiiiiiii!

Ecoshower

http://www.ecoshower.com.br

É um controlador da temperatura de chuveiros capaz de reduzir o consumo de energia e água. Os estudos realizados comprovaram até 40% de redução no consumo. Pelo que entendi é possível regular a temperatura e o tempo de banho por um dispositivo que acoplado ao chuveiro. Um detalhe interessante é que a regulagem é feita por uma haste lateral, vi que a empresa se preocupou em criar um modelo para pessoas que utilizam cadeira de roda, neste caso a haste é bem mais comprida. Você pode comprar o dispositivo no site e o por  R$ 150,00.

Pavieco, Pavimento Ecológico

http://www.baciaviva.com.br/

O pavieco é um piso ecológico que é produzido a partir da reutilização de sedimentos depositados em rios, córregos, barragens, lagos e cursos d’àgua das regiões de mineração de ferro. A idéia surgiu após o rompimento de uma barragem de rejeitos de minério de ferro em Nova Lima (MG). É um material super acessível e necessário em qualquer tipo de construção, além disso, o formato de peixinho dos pisos é uma gracinha, na minha casa vai ter Pavieco!

Vamos comprar e divulgar pessoal!

=)

Nane

Vamos de bike?

Posted on: 11/05/2010

A Conferência do Ethos começou hoje e algumas pessoas, assim como eu, ficaram incomodadas com o fato do carro ser o único meio de transporte considerado para a locomoção dos participantes. Aí eu e mais dois amigos decidimos ir de bike para estimular que alguma discussão seja feita sobre o assunto…

Poxa, pelo menos um grupo de caronas poderia ter sido organizado.

Se você tem interesse no desafio deixe um comentário ou mande um email para daianecm@yahoo.com.br.

Vamos nessa =)


Uhuuuuuuu, mais uma idéia super legal. A Natura, em parceria com o Instituto Ethos lançou ontem a campanha 99 olhares por um mundo melhor. 99 pessoas ganharão convites para participar da Conferência Internacional do Instituto Ethos 2010.

A proposta é seguinte: Todos os interessados devem acessar o site acima e responder a pergunta: Qual é a sua visão de um mundo melhor? Existe a possibilidade de complementar a resposta com links, vídeos e imagens. É importante preencher também os campos relacionados a redes sociais porque o objetivo é que os convidados não só participem das atividades, mas que levem para outras esferas e principalmente para suas redes de relacionamento as discussões que serão oferecidas durante a semana da conferência.

Porque eu acho que você deve participar:

  1. Este ano a conferência está com uma programação muito especial, na minha humilde opinião a melhor dos últimos anos, destaco a presença  John P. Milton, o lançamento do novo livro do Adam Kahane ” Amor e poder” além de diversos temas facilitados por meio da metodologia de diálogo open space que é muito bacana;
  2. Precisamos apoiar este tipo de iniciativa de uma empresa, sempre reclamamos que as empresas fazem pouco para estender o diálogo com toda a sociedade, no caso da Natura é muito normal eu ouvir que ultimamente tudo que ela faz de social é estimular o consumo desenfreado. Bom, agora que eles já deram um passo importante, vamos dar os nossos para construir este caminho que parece fazer muito mais sentido;
  3. No mais, a inscrição é caríssima, o pudim do Transamérica é ótimo e algo me diz que estar neste projeto vai ser muito bacana, no mínimo serão 99 pessoas com uma proposta em comum, hummmmm já estou ansiosa!!!

Este blog é um dos parceiros e eu já sou uma das 99, então por aqui você sempre encontrará as últimas notícias sobre a campanha e a conferência.

Participe, discuta, divulgue!!!

=)

Nane

Apesar de não ter brincado muito com Lego na infância sou muito fã. No final de semana, participei de uma atividade muito interessante dentro do curso Change Lab, o LEGO Serious Play. Fui um pouco cética no começo, tenho sérios questionamentos sobre estas atividades modernosas, como danças, pinturas e outras parafernalhas que tentamos colocar no meio de nossas atividades de desenvolvimento, mas tenho que confessar que esta realmente me conquistou.

A idéia surgiu em 1995, quando o CEO da Lego, Kjeld Kristiansen estava profundamente insatisfeito com os resultados dos trabalhos para desenvolvimento de estratégia que eram conduzidos na empresa. Ao mesmo tempo, dois professores da IMD, Johan Roos Bart Victor estavam em pesquisas relacionadas ao desenvolvimento de novas ferramentas de gestão.

Ao verem que os objetivos eram convergentes a Lego passou a patrocionar a pesquisa dos professores e, em conjunto, desenvolveram uma subsidiária chamada Executive Discovery especialmente para este segmento. O projeto passou por diversas transformações e sua consolidação  está prevista para junho deste ano.

No Change Lab utilizamos o LEGO em uma atividade para desenvolvimento de protótipos. As peças do jogo foram cuidadosamente desenvolvidas para este tipo de trabalho, então não adianta comprar qualquer uma por aí, pena que pelo que sei ainda não são vendidas no Brasil. Como tudo nessa vida, existem consultorias especilizadas no trabalho com Lego em contextos organizacionais, por aqui ainda não tem ninguém credenciado, alguém de habilita?

Pra quem se interessou, este vídeo é interessante:

=)

Nane

Estava olhando as estatíscas do blog e vi que nos termos de busca surgiu a expressão: “Torcer para o jacaré” , não resisti, tinha que escrever um post sobre isso.

Quando ainda trabalhava em empresa essa situação era muito recorrente, lembro especialmente de um projeto de inovação super difícil em que eu recebia apoio de algumas pessoas, mas, de outras… era só balde de água fria todos os dias.

Pensando nisso lembrei que eu também já torci para o jacaré, é dificil admitirmos, mas, duvido que exista alguém que nunca foi contra alguma idéia, pessoa, projeto novo na organização em que trabalha e que depois de algum tempo precisou dar o braço a torcer. Acabei de ouvir um podcast sobre o assunto e a sugestão do consultor é que todas as pessoas que torcem para o jacaré devem ser demitidas. Gente, vão ter que demitir todo mundo!

Refleti sobre quais situações me faziam torcer para o jacaré, eram bem específicas:

  1. Quando eu caía em algum projeto de paraquedas;
  2. Quando os papéis e responsabilidade não estavam claros;
  3. Quando eu não acreditava na pessoa que era responsável pelo projeto;
  4. Quando pessoas que eu acreditava não estavam muito confiantes;

Bom, nessas situações normalmente existem problemas de gestão relacionados a torcida do jacaré e normalmente costumam jogar a culpa somente em quem está torcendo contra, deve haver algo que podemos fazer para amenizar situações como essa não é?

Para a maioria dos problemas organizacionais que conheço eu acredito neste poderos remédio: doses cavalares de diálogos verdadeiros, se tem uma galera torcendo pro jacaré uma conversa franca sobre as expectativas e comportamentos poderia ajudar muito, no meu caso sempre ajudou. No mais precisamos fazer a lição de casa sempre, tornando as coisas o mais claro e transparente que for possível, essa atitude acaba com toda a torcida? Certamente não, mas que elimina uma boa parte, posso garantir!

E quando nada mais funciona, o jeito é criar acordos de confiança. Eu tinha um chefe que sempre chegava com idéias moderninhas que muitas vezes me incomodavam, em certos momentos da discussão que eu dizia: Vou ter que confiar no que você está dizendo! E eu tentava confiar mesmo, às vezes ele estava certo, às vezes eu, mas, a confiança não deixava que o jacaré vencesse.

Existe a opção de demitir ou ser demitido mas, essa solução é drástica demais, não é?

=)

Nane

Hoje é o dia das divulgações, mais um curso bacana que finalmente conseguirei fazer:

Sorry pessoal, só achei a descrição em inglês, como a REOS é uma organização gringa muitas das coisinhas estão em inglês, mas no site você tem a opção de converter as informações para português.

A course on how to facilitate profound change and innovation in teams and organisations

“What prevents many organisations and individuals from being innovative and fail to bring about the change they desire is their inability to access new data and new reality through attending to the leadership blindspot. Change makers and innovators have learnt the art of accessing their blindspot by learning the art of suspending their usual ways of perceiving reality in order to ‘see’ the emerging future possibilities.”

“The success of an intervention depends on the interior conditions of the intervener.” – Bill O’Brien

Most of today’s most pressing challenges are characterised by enormous complexity. Relying on past experience to figure out what to do is no longer sufficient. If we always do what we’ve always done, we’ll always get what we always got. So, if we want to address our most complex social challenges, then we have to learn a different approach. This approach has to be not piecemeal, but systemic; not relying exclusively on authorities and experts, but including all key stakeholders; and not based on already-existing best practices, but creative. Furthermore, this approach has to be bilingual: it has to speak both the language of love – of connection, relatedness, and wholeness – and, at the same time and paradoxically, the language of power – of action, pragmatism, and force.

This course offers an opportunity to learn the Change Lab approach through a hands-on, experiential application to a global “problematic situation” that is being manifested locally – the issue of public healthcare. Using a combination of dialogue interviews among course participants, learning journeys, workshop exercises, classroom lectures, and artistic/physical expression, we will practice the Change Lab’s three core movements: co-sensing, co-presencing, and co-creating. We will build our capacities to address, successfully and peacefully, our own most complex social challenges.

The Change Lab as an approach has been applied to challenges as diverse as the sustainability of global food systems and malnutrition in India to cultivating national & community based responses to the challenge of orphans and vulnerable children in South Africa. Two recent books describe the practice and theory that underpins their work: Kahane’s Solving Tough Problems: An Open Way of Talking, Listening, and Creating New Realities (2004) and Otto Scharmer’s Theory U: Learning from the Future as it Emerges (2007).

Who should attend this course
• Managers in business, government, and civil society who want a fresh way to address the challenges facing them.
• Leaders at all levels in organizations who want to enhance their capacity to listen and observe, connect more deeply with others and themselves, and innovate in fresh ways.
• Facilitators and change agents who want to learn to facilitate more complex challenges with diverse groups.
• Anyone involved in innovation, policy, or engagement of stakeholders in complex environments.

Próxima turma de 22 a 24 de abril, ainda dá tempo!!!

Nane =)

Eu sou super fã da Brahma Kumaris, especialmente do centro de Retiros que fica em Serra Negra, interior de São Paulo. Me inscrevi para participar do retiro sobre calma, não parece interessante?

Segue a programação de maio, para se inscrever entre no site e navegue: Sede de Retiros/Serra Serena/Agenda de atividades

1 E 2 MAIO

BULLYING E SÍNDROME DE BURNOUT

Como entender e lidar com essas culturas na escola

Diante de situações de conflito, agressividade, falta de respeito entre os alunos e cansaço e baixa autoestima entre os educadores, a aplicação dos valores humanos torna-se uma ferramenta fundamental para entender e lidar com esses problemas, visando resultados positivos para educadores e educandos.
Neste encontro, trabalharemos com Bullying e Síndrome de Burnout, através de reflexões individuais e em grupo, além de dinâmicas para a aplicação de valores.

Facilitadora: Cleide Romero, psicóloga e pedagoga, membro da equipe do VIVE em São Paulo.

Público alvo: educadores em geral.

Este retiro é uma iniciativa do Programa Vivendo Valores na Educação. O valor sugerido de contribuição é diferenciado. Maiores informações: vive@vivendovalores.org.br.

8 E 9 MAIO

CURSO INTRODUTÓRIO DE MEDITAÇÃO E FILOSOFIA RAJA YOGA
Especial para famílias – por ocasião do “Dia das Mães”.

Este retiro oferece a possibilidade de fazer as duas fases do curso de Meditação Raja Yoga, num só final de semana. Uma excelente oportunidade para aproveitar o final de semana do “Dia das Mães” e reunir a família em Serra Serena, para participar deste programa.

O Curso Introdutório de Meditação Raja Yoga aborda os temas: papel do ser humano, do Ser Supremo, processo do eu e meditação.

O Curso Introdutório de Filosofia Raja Yoga aborda os temas: lei do carma, ciclo histórico, árvore da humanidade e quatro pilares da vida iogue.

Facilitadores: Juçara  Oliveira, contadora e professora da BK em Serra Negra e Rodrigo Brito, professor da BK em São Paulo e Serra Negra; coordenador do Programa VIVE- Vivendo Valores na Educação para as Situações de Risco.

Aberto ao público acima de 12 anos. Participantes com ou sem seus familiares são bem-vindos.

22 E 23 MAIO

REABILITANDO A CALMA

A pressa sufoca nossa essência verdadeira e nos impede de perceber o sentido da vida. Levantamos rápido, comemos rápido, interagimos rápido, vamos para lá e para cá rápido. No final do dia, nos sentimos exaustos. O objetivo deste retiro é oferecer reflexões e práticas para reabilitar o estado de calma, de modo que, mesmo que os eventos nos pressionem, estejamos fortalecidos e aptos a permanecer em contato com nossa casa de força interior e manter um ritmo de vida sustentável, que nos capacita a desfrutar e fluir com a vida.

Facilitador: Ken O’Donnell, diretor para a América do Sul da organização Brahma Kumaris e Presidente do Instituto Vivendo Valores no Brasil. Publicou mais de 12 livros sobre desenvolvimento pessoal e organizacional, traduzidos para nove idiomas.

Aberto ao público. Será dada prioridade àqueles que ainda não participaram de aulas, palestras e retiros com o facilitador.

Nane =)

Atualizações Twitter